Arquivo da tag: euromed

Bom senso na escolha do silicone

Harmonia e proporção são as palavras-chaves quando se trata de colocação de implante mamário. Mas para as modelos esses dois quesitos também se encaixam? Para saber a resposta, entrevistamos o cirurgião plástico Ricardo Alves. O especialista coloca próteses da Eurosilicone, representada no Estado pela Euromed, desde 2008. E cita os benefícios:
– É a marca líder do mercado europeu, com um produto muito confiável, de qualidade e segurança notáveis. O suporte  local que a Euromed fornece aos profissionais e aos pacientes também faz parte dessa escolha, pois nos dá toda a segurança necessária.
1) Qual é o bom senso na hora de colocar prótese mamária? Há relação entre altura e peso?
Ricardo Alves: Bom senso é procurar uma aparência natural e para isso altura e peso são muito importantes, pois norteiam a escolha do volume do implante. Harmonia e proporção fazem parte da beleza. De nada adianta uma mama grande e artificial que destoa do corpo da mulher.
2) Em relação ao mercado da moda, temos observado cada vez mais modelos com pouco seio aderindo ao silicone. É uma tendência do nosso país ter seio grande?
Alves: A silhueta da brasileira se caracterizava mais pela abundância nos quadris. Atualmente há uma valorização do maior tamanho das mamas, muito influenciada pela mídia e pelos padrões de beleza internacionais.
3) Qual idade ideal ou indicada para colocar prótese, já que as modelos começam a trabalhar com 13 anos?
Alves: A idade ideal é quando o crescimento se completa, pois podem ocorrer mudanças no corpo, e o implante antes disso pode até mesmo interferir no crescimento das mamas.
4) O que o senhor diz de modelos que precisam colocar ou retirar a prótese para agradar a exigência de clientes/contratos?
Alves: Considero que os contratos não podem ser a razão da cirurgia, já que é um procedimento que tem seus riscos, e com pouca ou nenhuma chance de “volta”, já que o formato inicial da mama não vai retornar se o implante for retirado. Sempre questiono a motivação da paciente para o procedimento, se a decisão é consciente e está bem formada.
5) Algumas modelos colocam silicone e ficam “parecendo” mais gordinha, o que atrapalha na hora de fechar contrato. A prótese pode causar essa sensação de “aumento”?
Alves: As modelos, em geral, têm uma silhueta esguia, e o implante traz um volume extra que destaca as mamas. De novo, temos de nos lembrar da proporção e da harmonia, pois se a escolha for acertada, a silhueta não sofrerá com isso.

O cirurgião Ricardo Alves atende nos seguintes endereços:
-Ultralitho Centro Médico – Tel 2108-8888

-Higiia Cirurgia Plástica – Tel 2107-6307

Fibroadenoma x cirurgia plástica

Dúvidas quando se trata de cirurgia plástica não faltam. Desta vez, resolvemos falar sobre fibroadenoma. Mas do que se trata? Para responder essa e outras perguntas, entrevistamos o cirurgião plástico Fabrício Silva Manoel. O especialista atende nos seguintes endereços: Clínica Renovatio, Higiia – Cirurgia Plástica e Ultralitho.
Há seis anos, o médico utiliza próteses da Eurosilicone, representada no Estado pela Euromed.
– Os benefícios consistem em tratar-se de uma marca antiga no mercado, sólida, líder de vendas na Europa, de excelente qualidade, cuja assistência fornecida a nós cirurgiões e aos pacientes pelos representantes da marca é espetacular, nos dando a segurança de saber que estamos trabalhando com materiais de altíssimo nível técnico – afirma.
1) O que é fibroadenoma?
Fabrício Silva Manoel: Fibroadenoma é um tumor benigno, derivado do tecido conectivo presente na glândula mamária. É o tumor benigno mais comum da mama feminina.
2) A mulher que possui pode colocar prótese mamária? Qual o procedimento mais adequado nesta situação?
Manoel:  A mulher que possui fibroadenoma mamário pode submeter-se ao aumento mamário, sem problemas. Geralmente a presença do tumor já é conhecida pela paciente ou é diagnosticada no pré-operatório da cirurgia de aumento mamário, através da ultrossonografia e da mamografia. O importante é realizar a avaliação criteriosa da mama antes da cirurgia, pois os nódulos encontrados devem ser diagnosticados antes da realização do procedimento, para que a conduta correta seja tomada. O mais importante é não deixar passar o diagnóstico de câncer de mama.
3) Alguns especialistas dizem que quem possui prótese fica mais fácil a constatação da presença do nódulo. É verdade?
Manoel:  Dependendo do tamanho do nódulo e da posição dele na mama, sim. Nódulos superficiais ou de tamanho moderado podem ser “espremidos” contra a pele pela prótese e se tornarem palpáveis após a cirurgia. Porém, como a maioria dos cirurgiões pede exames de imagem no pré-operatório, os nódulos pré-existentes já são de conhecimento do médico e da paciente no momento da cirurgia e no pós-operatório recente. Nódulos que por ventura surgirem depois da cirurgia (lembrando que a cirurgia não provoca o aparecimento de nódulos), poderão ser mais facilmente palpados pela paciente, por estarem “espremidos” contra a pele.
4) É necessário retirar o nódulo para colocar a prótese? Qual sua indicação?
Manoel:  Na verdade a necessidade de retirar o nódulo dependerá do tipo de nódulo. Existem critérios que fazem com que um nódulo possa ser somente acompanhado semestralmente com ultrassonografia ou então que deva ser retirado por meio de uma cirurgia. Normalmente este acompanhamento e a decisão de retirada é tomada pelo mastologista. E geralmente a cirurgia pode ser realizada no mesmo momento da colocação dos implantes mamários, sem problema algum.
5) Há caso de fibroadenoma em que não é recomendado a colocação de silicone?
Manoel: De fibroadenoma não. Porém, se a paciente apresentar um nódulo mamário suspeito, mesmo com biópsias prévias, o objetivo principal de uma cirurgia se torna o diagnóstico e o tratamento da lesão. Não se deve realizar uma cirurgia estética de aumento mamário em uma paciente que apresente uma lesão suspeita sem diagnóstico estabelecido.
6) O procedimento cirúrgico e os cuidados pré e pós-operatórios são os mesmos para quem tem ou não fibroadenoma?
Manoel: São parecidos. A diferença do pré-operatório e trans-operatório de quem tem fibroadenoma, o qual será retirado na mesma cirurgia de colocação de próteses mamárias, está na marcação dos fibroadenomas. Esta marcação consiste na colocação de uma agulha metálica ou na injeção de material radioativo (radioisótopo) na lesão, com o objetivo de poder localizá-la dentro do tecido mamário durante a cirurgia. Esta marcação é feita pelo radiologista (agulhamento) ou pelo radiologista em conjunto com o médico especialista em medicina nuclear (marcação com radiosótopo) horas antes da cirurgia, geralmente numa clínica radiológica.
Durante a cirurgia, o mastologista realiza a localização destes nódulos com o auxílio desta agulha ou com um localizador sonoro que capta a radiação emitida pelo radiosótopo. Após a retirada do nódulo, o cirurgião plástico coloca os implantes de silicone. O pós-operatório é basicamente o mesmo para as pessoas com ou sem fibroadenoma.