Clube do bolinha: homens aderem à depilação a laser

 

 Fazer a barba, para os homens, torna-se uma rotina desde a sua adolescência. O que para alguns é sintoma de masculinidade, para outros é um verdadeiro incômodo.  Por isso um serviço em especial vem ganhando mais adeptos do público masculino a cada dia que passa. É a depilação a laser, que apresenta-se como uma solução definitiva para eliminação de pelos. Na rede de clínicas Vialaser, o público masculino já soma cerca de 30% dos atendimentos. Para a fisioterapeuta e empresária da rede de clínicas catarinense, Kessey Lima, o motivo por esse número não ser ainda maior é o perfil natural do público masculino: “Os homens também se incomodam com os pelos, mas sempre acabam deixando para depois. Mas os bons resultados do tratamento faz com que esse número aumente a cada ano”, diz.

Seja por motivos estéticos ou mesmo para solução para problemas como a foliculite (inflamação dos pelos que deixa a pele machucada, manchada e com risco de infecções), os homens procuram depilar a laser com mais frequência áreas do rosto. Para evitar o visual ‘pele de bebê’, pode se optar por depilar apenas a área do pescoço e manter os pelos faciais. Mas as retirada dos pelos vai além e pode ser realizada em pernas, braços, abdômen, tórax, axilas, virilhas e nas costas.Sobre o procedimento utilizado na Vialaser, estudos mostram que o laser Alexandrite é menos doloroso que a depilação com cera quente. Tecnologia utilizada na rede de clínica, o Alexandrite possui um gás de criogênico que resfria e protege a pele, tornando a depilação a laser mais segura e confortável que os demais lasers presentes no mercado.

Independente dos motivos, podemos dizer que os homens estão mais informados e  cuidando mais de si mesmo e de sua pele. Qual o motivo? “É difícil saber o que mudou. Houve uma mudança no padrão estético masculino? É possível que os homens nunca gostassem de seus pelos, mas havia um preconceito em se falar sobre isso e eles simplesmente não expressavam sua vontade”, comenta Kessey Lima.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *