Arquivos da categoria: Viagem

Croácia: um mergulho na moda do próximo verão


Em Floripa, ou no Mar Adriático, inspiração para usar os looks da coluna deste fim de semana é que não irá faltar. Já no ritmo de verão contarei um pouco da minha experiência na Croácia, lugar lindo e mar azul e povo hospitaleiro. Quem sabe não será este o destino para a sua próxima viagem? Com cultura, lifestyle rico, gastronomia e muita história, toda a região tem uma arquitetura conservada, mesmo tendo sido devastada por conflitos, construções remanescentes do período do Império Romano, como o Palácio de Diocleciano em Split.Por Lise Crippa -16 de novembro de 2019

Foto: Dari Luz, especial

Saia do lugar comum e faça sua mala com looks para arrasar. Guarde o biquíni convencional, leve as camisas de linho brancas e outras peças clássicas, mas abuse do seu poder de ousar. Adote as estampas com motivos da fauna tropical, um biquíni com pássaros, flores e um par de calças ou saia de seda ou laise, são um charme.

Bolsa Antônia, Chapéu e Estilo, biquíni Água de Coco e argola Joya. Foto: Dari Luz, especial

Sobreposições também serão bem vindas, aqui os opostos se atraem, e muito! Olhe a calça listrada que combinei com a estampa de frutas! Seus planos de viagem agora podem ser o meu destino, a Croácia, ou uma piscina em algum lugar paradisíaco ou da hora. Considere sua mala com grandes possibilidades de fazer sucesso a partir desta coluna.

Biquíni Água de Coco, vestido Andréa Bogosian e brincos Joya. Foto: Dari Luz, especial

O destino é Croácia

É bom saber que depois da I Guerra Mundial, o local passou a fazer parte do Reino da Iugoslávia. Em 1991, após abandonar a república iugoslava, sofreu as consequências de uma guerra com a Sérvia que deixou muitas marcas no país. De 1991 a 1995, grande parte da população se tornou refugiada, milhares de casas foram destruídas e muitas mortes entristeceram o mundo. Várias cidades sofreram bombardeios, como Zagreb e Dubrovnik (esta a que mais amei). Em Dubrovnik monumentos históricos foram praticamente destruídos, mas após a guerra, em 1995, a cidade recebeu apoio da UNESCO e da União Europeia para ser reconstruída.

Nossa viagem 

A primeira parada foi em Split, a maior cidade adriática e que abriga o palácio do imperador romano Diocleciano. Caminhar à noite, dentro da cidade antiga, é viajar no tempo e na história, além de que  as ruelas e barzinhos escondidos nos lugares mais inusitados são um charme! Ótima estrutura de marinas, mas sem muita tradição de beach clubs, mesmo assim descolamos um perto do hotel que ficamos, o Zen, reduto bem animado e com gente muito bonita, além de ter o mais lindo pôr do sol para se ver.

Leia também: Mikonos e Costa Amalfitana: uma viagem fashion

Nossa segunda parada, a melhor e mais animada cidade, foi em Hvar. O local se destaca pelo agito que lhe dá o status de Ibiza da Croácia.  Não deixe de fazer um passeio de barco pelas ilhas e cavernas, como a Blue Cave e a Green Cave. Alugamos um barco privado para isso. O Hula Hula é um reduto que fica no caminho do Amfora hotel, bem legal para ir passeando à beira do mar e vendo as lojinhas locais. Chegando lá, tem pufes, DJ, comidas gostosinhas e muitos drinks para passar o final de tarde, outro pôr do sol lindo! Lá começa a bombar quando o sol vai ficando mais fraco e, como lota, é bom garantir seu lugar, faça reserva!

Em um passeio de barco pelas ilhas, saindo de Hvar, escolhemos almoçar no Zori. Restaurante, na praia de Palmizana, Ilhas Pakleni, é sensacional. Visual incrível, atendimento excelente e comida maravilhosa. Tente conseguir uma mesa ao lado do mar e se não tiver também não tem problema, pois todo o clima conspira à favor, desde as mesas com flores naturais e o capricho no preparo dos pratos.

Já no Laganini Beach Club você chega de barco e o local é surpreendente! Pegamos um bangalô incrível com consumação e valeu cada centavo! Fomos atendidos pelo Marcos, garçom atencioso e sempre prontos a nos servir. Tudo muito exclusivo, até o mergulho era privado. Foi a melhor escolha de Hvar.

Dubrovnik foi definida por Lord Byron como, a “pérola do Adriático”, possui um centro antigo repleto de belezas e é enclausurada por uma muralha de 25 metros de altura, sendo assim a maior cidade fortificada do mundo. Dalí se tem as melhores vistas do Mar Adriático, como por exemplo, a praia de Ploce.

A vida jovem da cidade é bastante presente graças às universidades locais e suas atrações culturais e históricas vão de fortes a monastérios, passando por museus e sinagogas. Ficamos hospedados no hotel Excelsior, que havia sido recém reformado e modernizado com uma arquitetura clean, mesmo tendo uma ala preservada num prédio bem antigo. O hotel tem uma vista incrível para a Old Town, e é muito perto principais restaurantes e points. O Takenoko restaurant e bar, por exemplo, é um japonês bem pertinho, com comida ótima e ambiente charmoso, eu indico! O 360 restaurante foi o melhor que fomos em Dubrovnik! Comida incrível, atendimento primoroso e visual de tirar o fôlego.

Sobre as bolsas

As bolsas de praia nunca foram tão usadas e desejadas como agora. Antes eram acessórios tirados do closet uma vez por ano e com cheiro de mofo. Há várias temporadas os designers internacionais transformaram todos os modelos, basta ser em palha, como objetos de desejo e presentes em todas as situações que o verão, praia, bar, já atravessaram a estação e no inverno também pode. O material está ficando cada vez mais forte como item fashion e este mérito podemos dar ao estilista francês Jacquemus.
O macramé, técnica de tecer fios sem nenhum tipo de máquina ou ferramenta, altamente manual, também entrou forte na moda e chamou a atenção nas passarelas. Bolsas listradas da Chanel em tons doces de rosa, verde e laranja apareceram com logos do tamanho de malas de mão; enquanto isso, o estilo macramê de Isabel Marant apareceu mais chique para um closet de verão.

Sapato e bolsa Antônia, vestido Betelgeuse e brincos Joya. Foto: Dari Luz, especial

De sacas de café

Uma pescadora aposentada, natural e moradora de Tijuquinhas, Biguaçu, a Dona Maria Cecília resolveu fazer um curso de corte e costura e reutilizar sacas de café para produzir  bolsas altamente sustentáveis e fashion. As peças são confeccionadas com sacas velhas que seriam descartadas.

— Ela sempre fez pequenas costuras para a família mas agora o negócio parece que irá prosperar — revela a filha, nossa super fotógrafa Dari Luz.

Sobretudo Canal, biquíni Água de coco, brincos e colar Joya, e bolsa feita pela Dona Maria com reaproveitamento de sacas de café. Foto: Dari Luz, especial

— Este ano é que ela conseguiu se inscrever em um curso de corte e costura para aprender novas técnicas e se especializar — diz ainda a filha orgulhosa, já que foi a mentora intelectual de tudo.

Os desenhos e escritos nas bolsas são das próprias sacas e vem assim dos produtores. Dona Maria pretende expandir o negócio e colocar sua criação em pontos de vendas pela cidade.

Saias versáteis

As saias chegam para usar o dia todo ou à noite e também versáteis para o dia a dia. Falando dos modelos mais praianos vou destacar os pareôs ou sarongues. Se você nasceu pelo menos no início dos anos 1900 sabe do que estou falando, aqueles panos estampados vindos da Malásia, que retornam à moda em várias versões, umas nem tão parecidas ao modelo de origem. Eles não ficam restritos às praias e vão para as salas de reuniões.

Chapéu e Estilo, maiô Vix, bolsa e sapatos Antonia, saia Le Iris e argola Joya. Foto: Dari Luz, especial

Mas como usá-las?

Com uma camisa durante o dia, uma camiseta no fim de semana, uma blusinha de seda ou um maiô assimétrico na praia… A chave para sua versatilidade está em seu comprimento abaixo dos joelhos. Paco Rabanne criou peças em seda e aconselhou: “Elas são super chiques, usadas com sandálias e camiseta e o melhor é que são confortáveis.” Ele não está errado, olhe as produções com saruel com shorts e da saia mais tradicional com babados. Eu amo cada modelo!

Vestido Vix e bijus Joya. Foto: Dari Luz, especial

Participaram deste editorial

Produção executiva, produção, styling, pesquisa de moda: Lise Crippa
Modelo: Andressa Gevaerd/ DN Models
Fotos e tratamento de fotos: Dari Luz
Produção de cena: Larissa Maldaner
Beleza: Larissa Maldaner
Locação: Mercado Sehat Campeche
Marcas e lojas participantes: Andrea Bogosian, Água de Coco, Antônia, BK Concept, Betelgeuse, Chapéu e Estilo, Canal, Le Iris, Joya, Loja Maria Claúdia, Mariella, Simethria, Vix, Viviane Furrier.

Mikonos e Costa Amalfitana: uma viagem fashion


Para a coluna desta semana me inspirei numa viagem que fiz há poucos anos para Mikonos e Costa Amalfitana . E viva o azul, do céu e do mar, do branco das areias e o amarelo, muito bem representado pelos limões sicilianos de Capri, todos tons atemporais, com cara de verão, seja no hemisfério sul ou norte.

Saia Amíssima, sandália Paula Torres e blusa Tamara Capelão para Strass


Alguns looks, cores, acessórios e de quebra darei dicas dos lugares que passei, além do lifestyle dos locais. Vou começar falando das tendências e de alguns itens fashion que não dá para esquecer de levar na mala na próxima viagem.

Muitos looks em azul

Sandália Carmem Steffens e vestido Mariella. Foto: Dari Luz, especial

Chamado de Mosaic Blue, Issey Miyake e Elie Saab foram os designers que começaram cedo a colocar nas passarelas essa tendência. Os admiradores de arte reconhecem como o tom verde-azulado sendo o preferido por Vincent Van Gogh. Mais complexo que a maioria dos blues, esse é o tipo de azul que se pode encontrar em uma tapeçaria de importância histórica e facilmente encontrado nos lugares que me inspirei nesta coluna.

Vestido listrado

Se há um tipo de vestido que você tem que ter antes do início das férias é um listrado. Independentemente da silhueta, cor ou comprimento, vi muitas alternativas deste modelo fácil, arejada e essencial nas passarelas e numa mala. Vista sandálias, tênis ou adicione acessórios ornamentados, como uma bolsa de couro de luxo ou palha, além de saltos de tiras para sair à noite. A tendência consegue fazer a transição perfeita de estação para estação e, definitivamente, não estou achando ruim. Listras da cabeça aos pés são também uma aposta, ou quebre a “monotonia” com um lenço na cintura, como fiz na produção.

Vestido Francesca Loungewear, lenço Pucci, chinelo Paula Torres

Chapéu de palha

Macacão Cholet e chapéu Mariella. Foto: Dari Luz, especial

Quando estou fazendo as malas para férias é importante ter uma sacola que caiba tudo, desde protetor solar, creminhos para os cabelos, pente, lanchinhos e, claro, o melhor chapéu de sol. O acessório não apenas completará o look, mas também ajudará a bloquear os raios e possivelmente evitar manchas da idade.

Fitas delicadas, cordões, tiras, laços e lenços são os detalhes obrigatórios nos chapéus mais chiques e pode acreditar, eles saem das praias para as ruas destes badalados lugares. Não hesite em usar modelos variados em cores diversas, é “podre” de chique!

Lenços

Vestido Amíssima, chinelo Paula Torres, lenço Pucci e chapéu Mariella. Foto: Dari Luz, especial

Os lenços de todos os comprimentos e tamanhos tiveram um renascimento nas últimas temporadas da Gucci e outras marcas de peso. Desde então, rappers, modelos, fashionistas e músicos adotaram o visual. A modelo Kendall Jenner se destacou num passeio em Milão, amarrando um lenço de seda sob a cabeça, de uma maneira mais elegante que Grace Kelly. Dia destes, em Nova York, a atriz Chloë Sevigny usou um lenço maior que a vida, muito reminiscente de algumas bisavós. Embora o visual já tenha sido reservado para frequentadores de igrejas e cervejeiros antigos de borscht, até os próprios jovens estão seguindo a tendência, sem medo. Não é segredo que o acessório certo tem o poder de transformar completamente uma roupa e nesta temporada o acessório aparece como uma peça versátil que pode ser usada de várias maneiras, aprimorando instantaneamente o seu visual com um toque especialmente fashion, veja:

Adoramos os anos de 1990: o renascimento do estilo dos anos 1990 trouxe o retorno dos acessórios no pescoço que muitos adaptaram com um pequeno lenço quadrado. Simplesmente dobre-o ao meio e enrole-o firmemente, envolva-o em volta do pescoço uma ou duas vezes, prenda-o com um pequeno nó e deixe apenas as pontas livres.

Boêmia: epitomizando o estilo do sul da Califórnia dos anos 1970, a modelo Gigi Hadid usou um cachecol estampado envolvendo a cabeça e amarrado nas costas. Essa é uma ótima opção quando você estiver viajando ou dirigindo com as janelas abaixadas.

Multitarefa: sem cinto? Sem problemas. Embora possa ter sido originalmente planejado para ser usado no pescoço, amarrar um lenço na cintura é a alternativa perfeita, olha o loook da produção!

Tradicional: siga uma dica de ícones de estilo como Grace Kelly e troque seu colar por um lenço de seda. Ele adiciona uma pitada de elegância a este clássico jeans, camiseta e trench coat.

Vestido confeccionado em costureira com tecido D&G da Rex Fabrics de Miami, cinto Cholet

 

Uma inspiração, um roteiro

Vou começar a viagem por Mykonos, ótimo lugar para ver e ser visto, com praias incríveis, boa comida, bons hotéis e restaurantes. Um dos locais no mundo favoritos dos gypsetters, jetsetters e definidores de tendências. Vou contar sobre o Spilia, um dos mais bonitos e charmosos hotspots do lugar, tem que ir! A localização é muito bonita e privilegiada, chegamos de barco.

Escondido em uma caverna ao lado do mar, não é coincidência que spilia signifique caverna em grego. Em Agia Anna, ao lado da praia Kalafatis, você encontrará um restaurante-bar como nenhum outro onde a especialidade são as massas com camarões, lagostas e afins. Tranquilamente situado em uma plataforma natural de rochas e pendurado sobre o mar, é um dos pontos mais emblemáticos do local.

Point

Há aproximadamente 12 minutos do hotel que fiquei em Mikonos, o Belvedere, está o Alemagou, Beach Club localizado na praia de Ftelia. Um refúgio boho tão autêntico que você chega a pensar que desembarcou numa cena de filme “Lagoa Azul” (os mais novos não irão lembrar, claro!). Tudo tão lindo e tão rústico: as cabanas de palha ou a lojinha de lona onde vendem os acessórios da tradicional sandálias Elina Linardaki, aquelas dos pompons que já foram hit do verão europeu e aterrissaram com suas releituras no Brasil verões adentro. Point pitoresco, onde a abundância de elementos cinza claro se encontram com a simplicidade e flertam com o luxo sem frescura.

Capri e Costa Amalfitana Al Mare

Um dia “al Mare” na Costa Amalfitana foi a oportunidade de experimentar a delícia de um mergulho longe de tudo e de todos. Observei de perto os diferentes tons da Costa, do verde transparente ao azul índigo do mar profundo, inesquecível! Parei em vários locais e o restaurante do dia foi o Conca del Sogno, uma bela estrutura que se estende ao mar. Um paraíso que não tem como não amar! Neste dia alugamos uma lancha de 38 pés com marinheiro que o concierge do hotel nos indicou. A localização do Conga fica entre rochas e muito verde com uma praia para quem preferir. Além dos frutos do mar, o restô oferece uma grande variedade de massas, diariamente reinventadas com a criatividade do chef.

Meu conselho é pedir sugestão do menu para os proprietários que atendem pessoalmente às mesas. Eles têm uma intuição extraordinária para os gostos de cada cliente. Como já comentei, uma das especialidades são os frutos do mar crus, abertos no momento para serem apreciados e “devorados” como deliciosos aperitivos.

Antes do almoço, como estávamos de lancha, paramos e pegamos um barquinho menor para entrarmos na Gruta Azul. O ingresso custou 13 euros e se paga em uma bilheteria lá mesmo (9 euros para o serviço de barco e 4 euros como bilhete de entrada), mas atenção: aceitam apenas dinheiro e os barqueiros pedem gorjeta na cara dura! O melhor horário para visitar a Gruta é entre meio dia e 14h, pois nesse período os reflexos são mais brilhantes. Claro, em dias nublados menos azul é menos luz!

Riccio 

Com uma atmosfera mediterrânea e decoração com mesas e cadeiras azuis, o il Riccio é um dos restaurantes mais recomendados de Capri. O local possui uma estrela no Guia Michelin 2013, tem uma cozinha aberta e decorada com azulejos majolica de Vietri, tipo a estampa do vestido da produção, tudo muito lindo e harmonioso. Uma sala secreta, que nem é tão secreta assim, pois é o local mais fotografado do endereço, de sobremesas faz qualquer um voltar a ser criança, com doces italianos celestiais, como Baba, sfogliatelle, ou delizie al limone .

A praia que serve o restaurante está situada nas rochas próximas à magnífica caverna Gruta Azul e é considerado um dos locais mais sofisticados da ilha. O menu é principalmente de frutos do mar, emparelhado com ingredientes frescos e sazonais , além de uma seleção atraente de carnes, massas e vinhos finos.

Limões sicilianos, amo!

O restaurante da Paolino, em Capri, é tudo o que o meu paladar, memória olfativa e visual queria conhecer. É um dos redutos mais famosos pelos habituès da ilha e o menu é servido em meio ao perfume dos limões, no mínimo inusitado! Sem dizer que eu amo limões sicilianos e lá eles ficam sob as nossas cabeças em pés enormes e suculentos! Os pratos do da Paolino são tradicionais da culinária da ilha, uma cozinha que passa de pai para filho e que continua a surpreender os paladares mais exigentes. Adorei tudo no local e voltaria inúmeras vezes.

Quisisana

A ilha de Capri fica no Golfo de Nápoles, no sul da Itália, a poucas milhas do mar de Sorrento e da Costa Amalfitana. Foi o terceiro destino da viagem, que iniciou em Atenas e Mykonos e por último na Costa Amalfitana.

Geralmente, os visitantes que chegam de barco ficam durante o dia na cidade e até umas 17 h as ruas são cheias. No final da tarde, quando todos os barcos vão embora, é que a gente consegue sentir a verdadeira vibe do local. Dormimos três noites e vivenciamos todo o charme, o clima das ruas, restaurantes e lojas. À noite, as pessoas vestidas elegantemente com muito linho, renda e tons claros, passeiam para ver e serem vistas. E foi num final de tarde que demos, literalmente, de cara, sentado em uma mesa de restaurante, com Valentino Garavani.

Como chegamos à Ilha:

O aeroporto de Napoli foi o nosso local de chegada e bastaram trinta minutos, com um transfer que reservamos aqui do Brasil, para irmos aos píers de embarque para Capri, de onde pegamos um barco coletivo, com bilhetes de passagens comprados na hora. Tudo muito tranquilo, até porque setembro, mês que viajamos, não é alta temporada. Chegando em Capri, um carrinho do Quisisana levou nossas bagagens e nós subimos de taxi até o hotel. Esta é a melhor maneira de acesso, já que as ruas do centro são destinadas apenas para a circulação de pedestres. Existem poucos estacionamentos, mas os meios de transporte públicos são bem bacanas.

Participaram deste editorial:

Produção executiva, produção, styling, pesquisa de moda: Lise Crippa
Modelo: Luiza Brito- DN Models
Fotos e tratamento de fotos: Dari Luz
Produção de cena: Larissa Maldaner
Beleza: Larissa Maldaner
Locação: Menton Viagens e Turismo
Agradecimento: Fabiana Ferrari
Marcas e lojas participantes: Attualitá, Amíssima, Carmem Steffens, Cholet, Francesca Loungewear, Strass Acessórios e Roupas, Loja Mariella, Paula Torres, Tamara Capelão, Rex Fabrics

Um pouquinho de Porta Nuova, o bairro mais moderno de Milão

Uma das coisas que mais amo, e inspira, nos lugares que conheço é quando o antigo se mistura ao contemporâneo. O melhor de Milão foi descobrir, meio à cidade, arranha-céus com design moderno e  arquitetura premiada. Estou falando de Porta Nuova, que inclui os bairros de Garibaldi, Varesine e Isola, totalmente revitalizada e que deu cara nova ao reduto. Vale muito a pena caminhar pela região totalmente revitalizada, ao lado da badalada Corso Como que é conhecida por sua ótima vida noturna, com discotecas, bares e restaurantes, e considerada o centro vital do novo bairro Porta Nuova . Inicialmente,  várias formas de resistência das comunidades locais se opuseram ao projeto  e achavam um modelo de desenvolvimento urbano insustentável. Mas o que eu pude constatar foi a construção de uma série de edifícios eco-sustentáveis ​​(calcula-se uma redução do consumo de energia de 37%), construção de uma praça circular com um diâmetro de 100 metros completamente para pedestres,  espaços públicos, uma piscina, um ginásio e uma área de 500  metros de painéis solares e outras soluções de aquecimento geotérmico, entre muitos outros recursos. 

Vestido Zara, bolsa Chanel e mule Paula Torres para passear na área mais cool de Milão

O antigo com o contemporâneo: arranha-céus moderníssimos recém inaugurados, que combinam em um mesmo espaço apartamentos residenciais, comerciais, lojas, supermercado, vida noturna, arte.

Com assinatura dos arquitetos Stefano Boeri , Gianandrea Barreca e Giovanni La Varra, o Bosco Verticale é um par de torres residenciais no bairro de Porta Nuova, em Milão. Fica entre a Via Gaetano de Castillia e a Via Federico Confalonieri, perto da estação de trem Milano Porta Garibaldi. Os prédios  têm uma altura de 111 metros e 76 metros e mais de 900 árvores em 8.900 metros quadrados de terraços.

Bosco Verticale, prédio residencial com arquitetura premiada e copiada pelo mundo

Kips Bay Decorator Show House em West Palm Beach

As mentes criativas da Kips Bay Decorator Show House, de Nova York, foram para o sul dos EUA e mostraram todo o talento em arquitetura e decoração em West Palm Beach, durante os meses de novembro e dezembro. O cenário ficou em exibição com 17 ambientes, na altamente esperada Mostra. Fui lá conferir!

Desde o anúncio, no início  de 2017, da homenagem floridiana a uma das mais veneráveis ​​casas de designer de Nova York, o mundo da decoração e arquitetura nos EUA ficou entusiasmado  com o evento ter uma versão em Palm Beach. Uma mistura de estilos  que deu certo,  através de profissionais criativos que reinventaram referências típicas ao estilo  resort, sem se transformar em kitsch.

O ambiente que mais me chamou a atenção foi o assinado pelo escritório Mabley Handler Interior Design que remeteu toda a decoração às cores do oceano, inclusive tapetes e paredes!

O local escolhido para a Mostra foi a Villa Belmonte, numa casa de estilo mediterrâneo de dois andares, customizada por vários top profissionais, incluindo Caroline Rafferty, Christopher Drake e Will Steele, bem como a local Amanda Lindroth.

Art Basel Miami: turbilhão de emoções numa das semanas mais movimentadas da cidade

 

Bem feliz de poder ter visto de perto esta movimentação artística e cultural que é a Art Basel, que ocorreu até o último domingo (10), em Miami Beach.  O evento é  anual, realizado no Miami Beach Convention Center, e atrai mais de 77 mil vendedores de arte, artistas, colecionadores e aficionados. Foram dias intensos que geraram mais de 20 feiras aos arredores, bem como, paralelamente, festas e até baladas das mais animadas em abundância. O espírito do evento vive em toda a cidade, em uma semana que se tornou conhecida como Miami Art Week e atrai gente do mundo todo, eu mesma cruzei com franceses, asiáticos, alemães . O espaço do Centro de Convenções é apenas o começo da  do redemoinho de emoções, tudo  perfeitamente adequado para Miami.

Vivendo intensamente Miami com obra da Contessa Gallery

Fin de Fiesta de Bottero

Arte realista

Expressão

Me representa

 

A História da Arte Basel

Com origem na feira  fundada em Basileia, na Suíça, em 1970, a edição de Miami Beach tem sido uma ação anual desde 2002. O local foi selecionada como um segundo destino ideal, com sua posição única . Ao longo dos anos, tornou-se um próspero destino de artes do ano inteiro, com uma cena de galerias vibrantes, bem como arte de rua de classe mundial, em Wynwood e Little Haiti.

Depende do ponto de vista!

Uma terceira edição da Art Basel foi lançada em Hong Kong em 2012. A cidade fica simbolicamente na encruzilhada da cultura oriental e ocidental.  Já a Art Basel Cities é uma nova iniciativa que se iniciará em setembro de 2018 em Buenos Aires, Argentina, e que levará a feira de arte para uma nova cidade internacional anualmente.