Aposte nos metalizados: moda luxuosa, futurista e histórica


Caminhe pelas ruas de qualquer capital, seja aqui no Brasil ou em outro lugar do mundo, que é muito provável que você encontre pessoas, até bem comuns e que não são ligadas ao universo fashion, vestindo uma peça de roupa metalizada ou acessório. Dentro deste contexto entra também o tom rosê, que é outro shape dentro dos metais e vem aparecendo nas passarelas, vitrines e aos poucos sendo incorporado no dia a dia.

Foto: Dari Luz, especial

O tom deu as caras na Feira de Móveis de Milão, maior evento anual de decoração de interiores do mundo, e as cozinhas metalizadas foram a sensação. Eu amo acessórios, como puxadores e torneiras rosê, acho chique! Como as tendências passeiam entre o fashion e a decoração e são, tipicamente, influenciadas pelos conselhos da Pantone, famosa por seu sistema de amostras de cores, a cada ano se cria novos tons com nomes, muitas vezes, tirados de elementos da natureza ou gastronomia, e é disso que os estilistas, varejistas de roupas, especialistas em móveis para casa tomam conhecimento.

Grandes dimensões

O rosê começou a se tornar popular quando a Apple colocou no mercado a linha iPhone 6S em ouro rosa, em 2015. O aparelho foi um dos lançamentos mais populares da época, com 40% de todas as pré-encomendas para o modelo. O item era “obrigatório” entre celebridades e influenciadores, uma ocorrência rara até então. No entanto, a cor já existia muito antes de ser escolhido como acabamento em um smartphone. De acordo com a agência líder de tendências de moda, a WGSN, o ouro rosa começou a se tornar popular em 2012, quando compôs regularmente em coleções de joias. Isso levou a algumas criações na passarela de designers como Jimmy Choo e Cavalli, em parte devido a uma decorrência crescente de itens de cor cobre, inspirada na propensão de designers de interiores.

As correntes em elos foram crescendo cada vez maiores nas passarelas da primavera e chegarão no verão para arrasar. O designer americano Brandon Maxwell mostrou versões brilhantes e gigantes, algumas completadas com brincos de corrente iguais, enquanto Zimmermann colocou colares de correntes com contas de brilhantes inacreditáveis na passarela. Havia também joias enormes com elos, conscientemente, trabalhadas com brincos e gargantilhas, dando força a qualquer visual morno. Mesmo que você siga o estilo minimalista, os modelos são uma tendência para aproveitar. Resgate aquelas peças que já estão guardadas no closet há anos, afinal, estes acessórios estão na trajetória da moda faz tempo, não dá para se disfazer deles.

Metal da hora

Roupas com efeito metálico ganharam corações de muitas pessoas este ano. Jaquetas de prata estruturadas da Balmain foram puro futurismo na passarela, enquanto também havia um toque de sensualidade nos espartilhos de metal. Uma blusa de prata criada por Isabel Marant foi, simplesmente, a versão mais chique e moderna que vi entre as marcas internacionais. Vestidos curtos de prata eram pura diversão para garotos na passarela da Celine.

Sandália Schutz, calça Fernè Leather, blusa customizada de acervo pessoal, bolsa Capodarte e joias Ruth Grieco. Foto: Dari Luz, especial

Eu tenho duas calças, uma dourada e outra prata, que estavam guardadas no closet só na espera do dia que seriam resgatadas. E quem diria, estão perto de se tornarem tão populares ao ponto de serem chamadas de “o novo preto”, mas eu prefiro tomar alguns cuidados:

  • É melhor usar uma peça de roupa com efeito metálico junto de outras coisas com tons neutros.
  • Uma saia, sapatos, acessórios, bolsa e blusa de cor prata vai brilhar demais, opte por um item somente desta lista, por favor!
  • O brilho do ouro e do prata agradou as meninas nos anos 1980 e início de 1990. De lá vieram os vestidos, regatas, saias plissadas e cintilantes que atraem olhares até hoje.
Joias Ruth Grieco, blazer Bobstore, saia Carmem Steffens. Foto: Dari Luz, especial

Falando nisso…

Ombros à mostra de um lado só e estruturados, o ouro e o prata se destacando, além dos babados e todas as referências que remetem aos anos de 1990 que, enfim, devem entrar para a história da moda como os melhores.

A coleção Let´s Party da Fernè Leather, marca catarinense de couro legítimo, entra no ritmo das festas de final de ano dedicada a um lifestyle agitado e luxuoso. Com muita nostalgia, de quem aproveitou aqueles anos, a Fernè antecipa as tendências apresentadas nas principais semanas de moda internacionais para um novo e exigente público.

Saia Fernè Leather, body Colcci e joias Ruth Grieco. Foto: Dari Luz, especial

O metal entra em evidência para a lista de texturas do verão e para as próximas estações. O prata é uma cor que é simultaneamente luxuosa, feroz, futurista e histórica, de fato, nas passarelas vimos todas essas interações. Aliás, o metálico escolhido para se destacar foi o prateado, mas para o rol de tons de 2020, o ouro tem o seu valor resumido em uma paleta rica que representa luxo e opulência.

A coleção da Fernè traz vestidos nos dois shapes, inegavelmente, lindos! E ainda jaquetas e casaquetos para combinar com estampas, com branco ou preto, resultando também em looks casuais de rua. Space Girls, Sex and the City e Patricinhas de Beverley Hills dão o tom para as 12 peças com inspiração nas melhores festas, música, cinema e cultura da década. Além da explosão das super models, a liberdade de expressão e diversidade de estilos convivendo harmoniosamente:

Macacão Colcci, casaqueto Fernè e joias Ruth Grieco e sapatos Valentino. Foto: Dari Luz, especial

— O espírito do final do século XX está de volta com toda a força e atribuo isso também à geração Millennial que foi aos arquivos da época e reinventou o estilo — diz Tati Greuel, diretora criativa da Fernè.

— Foi o início do culto das marcas de luxo e de um certo minimalismo nas formas, em resposta aos excessos dos anos 1980 — finaliza.

Outra que dominará o mundo

As tendências levantadas pela WGSN, líder mundial em previsões, revelou que um tom pastel de verde e batizado de “neo mint”, dominará o mundo da moda e na arquitetura em 2020. De acordo com o birô de tendências, com sede em Nova Iorque, o neo mint é uma cor neutra em termos de gênero, com “um tom oxigenado e fresco que alinha a ciência e a tecnologia com a natureza, algo futurista, visionário” . “A conclusão do edifício mais alto do mundo na Arábia Saudita; o início da missão Mars 2020 Rover da NASA; e a introdução dos táxis voadores da Uber – ajudou a equipe a identificar o neo mint como uma cor importante para o início da próxima década”.

Não posso negar que 2020 soa como um tempo em que as gerações anteriores, euzinha, por exemplo, imaginávamos tudo e um pouco mais como robôs fazendo os trabalhos domésticos e carros voando. Acho bem adequado que as tendências sejam baseadas nisso para este futuro tão próximo. Por outro lado, o retorno às origens, ao manual, ao simples também tem se mostrado importante na hora de decidir. No início de novembro assisti ao talk show da editora da Revista Bloom e representante no Brasil da trend Forecaster holandesa Lidewj, a Lilli Tedde onde ela abordou, justamente, a busca incansada do resgaste, cada vez mais na moda do simples, da natureza e de algo que seja mais humano e real. Sejamos todos bem vindos à nova era e boa sorte!

Macacão

Macacão Colcci, camisa Animale, bolsa Capodarte e joias Ruth Grieco. Foto: Dari Luz, especial

Um macacão é um clássico da moda que alonga e que amamos quando volta estar em evidência. Bianca Jagger e Jerry Hall costumavam usá-lo, assim como como Farrah Fawcett nos anos 1970. E agora que o verão está quase ai, o que poderia ser mais perto de uma peça super versátil?

Recentemente os modelos tiveram um renascimento nas passarelas e Christian Dior destacou uma versão em patchwork de couro, em 2018. Elie Saab optou por uma versão em branco com uma blusa do tipo blazer pronta para a sala de reuniões e trabalho.

Macacão Colcci, jaqueta Perfecto Fernè Leather, pulseira Hermès e tênis Gucci. Foto: Dari Luz, especial

Pegue carona no modelo em jeans da Colcci que mostrei no editorial e joguei nas costas a perfecto de couro, ou no macaquinho também em couro sopreposto na camisa branca e ainda o chique crepe com casaqueto dourado em couro. Qualquer que seja a sua escolha, é uma produção para se fazer na hora, não precisa planejar e planejar…Tocador de vídeo00:0000:58

Participaram deste editorial:

Produção executiva, produção, styling, pesquisa de moda: Lise Crippa
Modelo: Valentina
Fotos e tratamento de fotos: Dari Luz
Produção de cena: Larissa Maldaner
Beleza: Larissa Maldaner
Marcas e lojas participantes: Animale, Carmen Steffens, Colcci, Capodarte, Bobstore, Fernè Leather, Gucci, Hermès, Ruth Grieco, Schutz, Valentino

Sobre Lise Crippa

Sou formada em Jornalismo, pós-graduada em Marketing e Moda. Atuo em assessoria de comunicação e jornalismo de Moda. O universo Fashion faz parte da minha vida e do meu trabalho.