A calvície do homem moderno pode ser resolvida

A mudança dos padrões de beleza masculino ocorreu de forma rápida em nosso mundo globalizado. Há 10 anos fazer um transplante capilar, era “coisa para careca” e o homem daquela época não se incomodava em ter um galã famoso, e sem cabelos, como referência de beleza.

A desculpa de que homem careca também era charmoso foi usada para quem não tinha coragem de tomar uma atitude. Antigamente, também existia o estigma de que transplante capilar, na maioria das vezes, ficava artificial (cabelo de boneca). ” Mas não podemos esquecer que nossos cabelos são moldura de nosso rostos”, revela o cirurgião capilar Marcelo Evandro.

Com uma constante evolução no transplante capilar a realidade é outra. Modernamente falando, o brasileiro tem se aproximado do americano e europeu  no quesito vaidade em relação ao cabelos. Antigamente, o homem que tinha uma região frontal (testa) avantajada, não sabia que dava para corrigir com a confecção da LINHA ANTERIOR NATURAL, exemplo a seguir:

 

 

                    

Na primeira semana algumas casquinhas são frequentes e em alguns casos se temos uma densidade capilar generosa logo atrás, podemos disfarçar esta região recém operada.

 

Doze meses depois observamos uma grande densidade capilar mesmo com os cabelos úmidos

Damos o nome de linha anterior à linha de implantação dos cabelos. Ela é um ponto chave na obtenção de um resultado natural e é considerada a assinatura do cirurgião de calvície

A linha anterior quando muito baixa, muito reta, muito alta ou que não respeite as proporções faciais é facilmente detectável e pode prejudicar o resultado de um transplante capilar, mesmo que o cirurgião tenha implantado um bom volume de fios.

Dica do Dr:

-Infelizmente, ainda hoje, recebemos no consultório pacientes com queixa de resultados não naturais, geralmente por implantes realizados com técnicas antigas ou equipes inexperientes.

Dr Marcelo Evandro é cirurgião capilar em Florianópolis

-Na criação da linha anterior nos baseamos no estudo da linha anterior natural de quem não fez cirurgia.

-Em alguns casos, o paciente tem uma leve penugem que pode dar uma diretriz de onde seria a linha mais natural, mas na maioria dos casos, essa linha deve ser desenhada pelo cirurgião. Esse desenho segue a sensibilidade do médico e difere muito de equipe para equipe. O ideal é procurar mimetizar a linha anterior de pessoas não operadas para conseguirmos o máximo de naturalidade.

-Deve-se manter, na maioria dos casos, as entradas naturais de todo paciente masculino.

-O mais importante, no entanto, é o senso artístico do cirurgião, que deve ouvir as expectativas do paciente e procurar adequá-las à possibilidade técnica. Após a marcação da linha anterior, o paciente confere a mesma no espelho a aprova ou faz algumas sugestões.

-Esta marcação é individualizada e vai variar conforme características do paciente como: formato da cabeça, grau de calvície, qualidade da área doadora, desejo, idade, entre outros.

-É importante também observar nesta região, a direção de crescimento dos fios, que o cirurgião determina neste momento, além da densidade que deve ser a mais alta possível. Também é fundamental que na região inicial dessa linha sejam implantadas as unidades foliculares mais finas, e algumas chamadas de ultrafines, contendo somente um fio, podem ser implantadas de forma irregular à frente para criar um efeito degradé.

-A característica da nossa linha anterior é a naturalidade e a discrição com o objetivo que não seja perceptível que o paciente fez um transplante capilar.

-Seguindo esta nova tendência, o homem moderno se sente mais jovial, elegante e socialmente aceitavel perante os outros e isso começa logo após os 20 anos de vida.

-Normalmente você demora para perceber que está ficando careca, ou então você até percebe que estão faltando alguns fios de cabelo quando vai ao cabeleireiro, mas acha que é coisa da sua cabeça (saiu um trocadilho sem querer) e acaba não botando muita fé nisso. Até que um dia, você escuta, muito provavelmente de um amigo, após sair da piscina ou de uma partida de futebol que está ficando careca. A primeira coisa que você vai fazer quando chegar em casa é se olhar no espelho e confirmar que você realmente está ficando sem cabelos.

-Se você que está lendo e já passou por isso vai entender bem do que eu estou falando e quem não tem esse problema talvez ache besteira. Eu já tive e também já fiz o meu transplante. Por isso tome cuidado antes de caçoar dos outros porque há pesquisas que revelam que a maior parte dos homens estão sujeitos a sofrer com problemas de queda de cabelo em algum estágio da vida, seja na juventude ou na velhice. “De qualquer forma, o homem sem irregularidades em sua cabeça se sente mais seguro, saudável e socialmente aceito”, finaliza.

 

Dr Marcelo Evandro: Celso Ramos Medical Center (Rua Dom Joaquim, 885 – sala 302). Fone: (48) 3229-0150.  drmarceloevandro@hotmail.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *