Arquivos mensais: novembro 2018

Na minha coluna da Revista Versar: Vá de linho: as cores deste tecido para o verão aparecem suaves, mas profundas e abrangentes

O linho é um material confortável para o verão por causa de sua alta absorção de umidade e rigidez relativa. Para o próximo verão, o linho estará presente nas produções mais quentes. Estrategicamente, você entrará no clima e ficará livre do suor, afinal, o material é usado para esse propósito desde os tempos antigos e há relatos em muitas civilizações. Colhido da planta do linho, que cresce em climas mais frios que o algodão, é resistente a insetos e seca. Há até uma razão pela qual a roupa de cama em linho é usada há milênios: cientificamente comprovado, é um tecido mais frio que o algodão ou a seda. A seda retém o calor, enquanto o algodão tende a baixar a temperatura quando perto do corpo. Já o linho é um material confortável para o verão por causa de sua alta absorção de umidade e rigidez relativa. Fotos: Dari Luz/Divulgação

 

linho
Chapéu Vero, macacão Eduardo Azevedo Atelier, bolsa Antonia Handbags, anel Gabriela Faraco e
lenço acervo

Um jardim cor de vinho

linho
Lenço Dolce & Gabanna, vestido Damyller, pulseira Elles por Elise, anel Gabriela Faraco, clutch Montefina e chinelos Hermès

O casarão branco localizado na esquina da Luís Delfino com Alves de Brito, em Florianópolis, sempre me chamou a atenção, seja pela arquitetura – o imóvel tombado completou 100 anos em 2017 -, ou pelo seu jardim projetado pelo escritório JA8 Arquitetura e Paisagem, de Juliana Castro e Clarice Wolowski. Segundo Clarice, a escolha das espécies plantadas tem o objetivo de levar contemporaneidade ao jardim. Os penisetes de cor rubro, um tipo de herbácea cor de vinho, possui uma penugem que é sua flor. Para compor o jardim foram usadas ainda gardênias que têm tonalidade verde escura para contrastar com o restante. Já a casa, batizada de Casacanto, idealizada pelos arquitetos Carlos Lopes e Abreu Junior, dá vida a um dos projetos de arquitetura colaborativa mais importantes do Brasil, reunindo muito mais do que arquitetura: trata-se de um espaço que abraça a cultura e a inovação e abre portas para profissionais da arquitetura, design e arte.

 

Feitos à mão

linho
Chapéu Praia Sim Senhor, vestido Degê Store, cinto Fendi, clutch Damyller, anel Gabriela Faraco e mule Ethne

A mule do editorial é da Ethne, desenvolvida pela equipe da marca com a Rafia da Raphia Palm, uma palmeira típica do Marrocos. São trabalhadas por exímios artesãos na arte de tecer a palha em calçados, uma tradição passada de pai para filho.
Já os cordões da Elles por Elise se transformam em colares, cintos e pulseiras. As peças carregam pingentes delicados com pedras, porcelanas, contas de madeira, pérolas, cristais Murano e sementes brasileiras. Em algumas peças foram misturadas até cinco técnicas de bordados e costuras.

Pantone

linho
Chapéu Vero, pulseiras e brincos Mila Coelho, saia e camisa Colcci e bolsa Antonia Handbags

Quando se trata das cores da moda aprendemos a aceitar um padrão regular para a primavera e verão, com tons claros e pasteis Mas as cores previstas para 2019 incluem escolhas mais surpreendentes, pensadas e garimpadas na natureza. Imagine um blue oceânico suave, tons roxos da lavanda, terra com infusão de luz e canalizando o toque mais suave do rosa milenar. As mudanças deste padrão podem ser por uma razão simples. Em uma época de convulsão sociopolítica, a ostentação e a grandiosidade são reduzidas em favor da conexão social com a arte, natureza, música e cultura pop. O amor e a aceitação são mais do que uma ferramenta de marketing, são uma força motriz da criação.

Eco Friendly com muito glamour

100% Capri
Foto: 100% Capri

Se há uma coisa que o estilista Antonio Aiello, da marca italiana 100% Capri, entende é de linho. O proprietário, fundador e designer da grife, com lojas espalhadas pelo mundo, construiu sua marca em torno de criar um estilo de vida centrado em torno do tecido. As boutiques oferecem roupas de luxo e artigos para casa que evocam a essência de la dolce vita de Capri e alguns locais na Europa, onde os dias ensolaradas são gastos com muito linho branco e peças claras. A marca segue a linha eco friendly, habilmente feita à mão, cuidadosamente artesanal, e leva moda para homens, mulheres e crianças com camisas, vestidos leves e kaftans com uma pegada beachwear elegante.

O rústico da moda

Chanel
Foto: Chanel

Bolsas e acessórios em rattan e materiais rústicos têm sido bastante populares nas últimas temporadas e ainda estão sendo vistos nas passarelas. Então certifique-se de atualizar sua coleção. Com uma estética que lembra as clássicas cestas, sempre em alta do Sul da França, o vime, a palha e afins manterão você na moda por mais um ano e foram exibidas nas coleções dos estilistas da Altuzarra, Christian Wijnants, Isabel Marant, Jacquemus, Sonia Rykiel e Loewe. E entrando no clima, a Chanel colocou na passarela recentemente chapéus de palha entre seus mais luxuosos acessórios. Lagerfeld construiu uma praia em pleno Grand Palais, em Paris. Mostrou muitos acessórios para usar desde o clube de praia até o calçadão.

Participaram deste editorial:

Produção executiva e styling, pesquisa de moda: Lise Crippa
Produção: Maria Luiza Ramos
Produção de cena: Larissa Maldaner
Beleza: Larissa Maldaner
Fotos e tratamento de fotos: Dari Luz
Modelo: Alana Martinelli – Ford Models
Locação: Casacanto
Marcas e lojas participantes: Antonia Handbags, Colcci, Damyller, Dolce & Gabanna, Degê Store, Ethne, Elles por Elise, Eduardo Azevedo Atelier, Fendi, Gabriela Faraco, Hermes, Acessórios Mila Coelho, Montefina, Praia Sim Senhor, Vero Chapéu.

Olhares atentos para as tendências de moda que serão apresentadas no OCTA Fashion 2018

 

Das pesquisas à produção, o maior evento de moda de Santa Catarina, o OCTA Fashion – Observatório de Culturas e Tendências Antecipadas, tem os últimos detalhes alinhavados. O desfile que chega em sua oitava edição está marcado para ocorrer no dia 28 de novembro, com início às 19 horas, no Centro de Eventos Luiz Henrique da Silveira, em Canasvieiras. Na passarela, sob o tema “Deslocamentos”, serão apresentadas criações dos alunos formandos do curso de Moda da Udesc (Universidade do Estado de Santa Catarina), uma oportunidade inédita de apreciar o que há de mais recente e criativo no mundo fashion.

Foto Pedro Bonacina

O tema “Deslocamentos” inspirou 33 alunos formandos a produzir três criações cada para o dia do desfile. Conforme a professora do curso de Bacharelado em Moda da Udesc, Daniela Novelli, o tema extrai a ideia de mudar de posição, ir de um lugar a outro, deslocar-se. “A imigração é, em primeiro lugar, um deslocamento de pessoas no espaço físico. Porém, o espaço dos deslocamentos não é apenas geográfico; há também diferentes culturas e novos lugares simbólicos de diálogo, típicos da globalização contemporânea”, explica Daniela.

Foto Pedro Bonacina

A formanda Marina Casagrande explica que esse projeto começa na quarta fase do curso de Moda da Udesc e acredita que o OCTA Fashion não só é uma vitrine de talentos de moda, que mostra a capacidade criativa e o conhecimento de materiais, modelagens, estilos e design, como uma revelação de profissionais prontos para o mercado, já que a organização do evento também é parte das atribuições dos alunos. “São meses intensos de trabalho e evolução – criação, design têxtil, modelagens e costura fazem parte da nossa rotina. Além disso, somos responsáveis por grande parte da organização doevento, em cada parte do seu planejamento e execução. Assim, chegamos ao OCTA com uma bagagem extensa de aprendizado que, com certeza, nos colocam à altura do mercado de trabalho que nos aguarda. É uma experiência única e completa”, diz Marina.

 

Os olhos estarão voltados para cada detalhe do que será apresentado na passarela do OCTA Fashion. O evento normalmente é coordenado pela professora Balbinette da Silveira, porém quem está à frente desta edição é a professora Amanda Queiroz Campos. Segundo Amanda, o OCTA é uma oferta máxima do curso em aplicação prática dos conhecimentos desenvolvidos durante os semestres anteriores do Bacharelado em Moda da Udesc. “Não somente as coleções desfiladas, bem como a organização do evento são partes integrantes do projeto político-pedagógico e desenvolvidas ao longo do curso.  As práticas variadas possibilitam aos alunos um preparo muito mais holístico para o mercado de trabalho no amplo setor da moda, principalmente na área de comunicação”, destaca.

 

O evento é aberto à comunidade em geral e a universidade disponibiliza convites na semana que antecede o evento, no departamento de moda da UDESC.