Arquivos mensais: outubro 2014

Espetáculo plural

Teatro, música e dança em um espetáculo multimídia que promete emocionar Florianópolis. Premiado em São Paulo como um dos melhores espetáculos da temporada, “Nise da Silveira – Guerreira da Paz” realiza curta temporada a preços populares no Teatro Pedro Ivo (31 de Outubro, 1 e 2 de Novembro de 2014).  “Nise” trará à Ilha a bailarina Ana Botafogo (foto) – coreógrafa do espetáculo – e o renomado pianista João Carlos Assis Brasil, autor da trilha original. Eles participarão de debates após as sessões. O evento inclui ainda a gravação do DVD duplo e a exposição ‘Nise de Lótus’, do escultor Martin Ricciardi.  Foto da Ana: Jackeline NigriFotos do Daniel: Maristela Giassi
O Mag Foto Estudio exibe ainda exposição fotográfica no Mercado São Jorge, desde 17 de Outubro. Tudo sem patrocínio, como se orgulha e faz questão de frisar o idealizador e ator Daniel Lobo: – Acredito que a Arte tenha que ser consagrada a valores éticos e estéticos sem as amarras oficiais. Apesar de ter me beneficiado nos últimos anos das leis de incentivo à cultura, resolvi que esta caminhada seria independente. O público é nosso patrocinador – afirma Daniel, que tem no currículo o Prêmio APCA de ‘Melhor Ator’ – Associação Paulista de Críticos de Arte -, além de passagens pela TV, como o Pedrinho do Sítio do Pica-Pau Amarelo, na década de 80, entre diversas novelas e seriados.
Daniel Lobo
Considerada uma das personalidades mais importantes do século 20, discípula de Carl Gustav Jung, a alagoana Nise da Silveira foi uma das primeiras mulheres a se formar em medicina no Brasil. Ela revolucionou a psiquiatria ao criar Ateliês de Arte dentro dos hospitais psiquiátricos, se negando a praticar os polêmicos tratamentos com eletrochoque e todos os procedimentos violentos contra os pacientes. A encenação multimídia encerra a ‘Trilogia do Inconsciente’, projeto consagrado em São Paulo como um dos melhores espetáculos em votação popular do Prêmio Aplauso Brasil (Melhor Diretor: Daniel Lobo e Melhor Trilha Original: João Carlos Assis Brasil).
 
Os ingressos estão à venda no site da Blueticket (www.blueticket.com.br) e na bilheteria do Teatro Pedro Ivo: (www.teatropedroivo.sc.gov.br/index.php/ingressos/bilheteria)

Toque do cirurgião plástico: hipertrofias mamária juvenis

As hipertrofias mamária juvenis são mamas exageradamente grandes na fase da adolescência e adulta jovem”, explica o cirurgião plástico Paulo Roberto Mendes, que atua em Florianópolis e é presidente da SBCP – SC. “As mamas são o símbolo maior da feminilidade, lembra, mas quando elas crescem exageradamente, ultrapassando o tamanho e peso razoáveis, ainda numa idade muito jovem, podem ser um problema”, revela ainda.  lImagens: Internet

A Hipetrofia Mamária Juvenil é uma patologia muito comumente associada ao “Bullying “: as mamas crescem por demais e já aos 18 anos de idade, as pacientes normalmente relatam um enorme desconforto psicológico e corporal. Permanecer com as mamas exageradamente grandes durante toda  a juventude e é quase certa dores na coluna, principalmente lombar e sérios problemas de postura que só se agravam com o passar dos anos.

Jessica Simpson nunca gostou das suas mamas

“As mamas se projetam para frente, pesando de 500g até 1.5kg a mais o que obriga a paciente a assumir postura compensatória, inclinando-se para trás, na tentativa de equilibrar o peso que se projeta para frente em seu centro de gravidade corporal. Não raramente existem jovens, muito antes dos vinte cinco anos, com fortes dores na coluna lombar e/ou cervical” diz.

Diversas patologias da coluna se instalam ao longo dos anos, quando o problema não é resolvido em tempo. Mas é no campo psicológico que identificam-se os maiores danos: as paciente acometidas pela patologia, relatam constrangimento muito grande. Muito comum é a afirmação por parte dos pais, de que a paciente não tem coragem de arrumar um namorado, tamanho o constrangimento. Não raras vezes os parentes das pacientes relatam a falta de vontade da jovem de sair de casa. Parece um paradoxo, nos tempos de hoje, em que observamos uma tendência de aumento das mamas com  silicone cada vez maior. Mas o fato é que a paciente não aceita a situação causada pelo crescimento exagerado das mamas e o relato de “bullying” escolar é comum das pacientes.

-A cirurgia de redução das mamas hipertróficas é indicada, e nestes casos, quando identificado o problema, já aos 18 anos, a cirurgia pode ser realizada.

-Em casos graves, as chamadas Gigantomastias ( mamas gigantes ), pode- se indicar a cirurgia em idades ainda mais jovens, antes dos 18 anos, porque nas gigantomastias, o problema só se agrava e as mamas não param de crescer, o prejuizo para a coluna vertebral é  mais severo e incapacitante.

-O tempo de recuperação normalmente previsto para este tipo de tratamento é de 20 dias e para algumas atividades, como educação física, normalmente se indica uma espera de 2 meses, avaliando-se

-Caso a caso, mas de um modo geral, o retorno ao convívio social é precoce, com 10 dias já é possível retornar às atividades normais que não exijam esforço físico.As técnicas atuais incurtaram o tempo de convalescência pós operatória e melhoraram os aspectos cicatriciais.

-“Na nossa prática , observamos que a redução das mamas hipertróficas ou gigantes, produzem um efeito muito mais significativo do ponto de vista psicológico, do que o aumento das mamas em pacientes jovens que possuem mamas muito pequenas.Poucas cirurgias influenciam tanto no comportamento das pacientes, como a redução das mamas hipertróficas ou gigantes, ainda na idade jovem” relata o médico.

-Antes dos 18 anos, a autorização dos responsáveis é necessária e uma consulta com psicólogo da adolescência ajuda bastante na decisão dos pais, que pode ser difícil de ser tomada e muitas vezes é protelada, mesmo apesar da insistência da jovem.