Arquivos mensais: agosto 2013

Dica do dia: cores florais na boca

 

O frio intenso já começa a se despedir, anunciando a proximidade da estação das flores: a primavera. E, com ela, novas tonalidades passam a fazer a boca das mulheres, mostrando uma das tendências de maquiagem primavera-verão 2013/14. Segundo a maquiadora Rosângela Pessoa, do Bressan Cabeleireiros, de Florianópolis, a aposta certa são os batons com cores de flores. “Entre as cores que prometem chegar com tudo na primavera estão o rosa, o laranja e o violeta. Cores bem fortes e vibrantes, remetendo às flores, para contrastar com as sombras, que nesta estação serão de cor pastel”, explica a maquiadora.

As cores florais na boca vêm de encontro com o estilo romântico “girly”, aposta da estilista inglesa Stella McCartney para a primavera-verão 2014. A tendência sugere uma mulher mais feminina e delicada, aproveitando o astral colorido e cheio de vida da estação. Que tal se antecipar e já garantir alguns batons florais?

Dica infalível:

No final do inverno é muito comum as mulheres se queixarem de rachaduras nos lábios, típicas desta época do ano. Para hidratar profundamente os lábios, Rosângela Pessoa indica o produto Lait-crème Concentré, da Embryolisse. “Faz milagres em apenas cinco minutos”, garante a profissional.

Artista Plástico Joelson Bugila faz releitura moderna de Ernesto Meyer Filho em obra autoral para a Mostra Casa Nova

 

Tachado de desajuizado pelos mais conservadores, Ernesto Meyer Filho foi um dos artistas plásticos mais irreverentes e transgressores de Santa Catarina. Auto-proclamado embaixador plenipotenciário de Marte para a Terra, pincelou de seres híbridos inomináveis a galos coloridos. Sua genialidade, fora do comum, será homenageada na 12ª edição da Mostra Casa Nova, a partir de setembro. E a missão de resgatar as peculiaridades do “Enviado de Marte” ao evento ficou para os sócios do Escritório ID Arquitetura, que prontamente passaram uma missão ao artista contemporâneo Joelson Bugila – criar uma obra autoral com referências ao universo particular de Meyer Filho.

Criador nada convencional, Bugila promete ir além das matérias-primas usuais, utilizando balões e tachinhas. “Meu trabalho com balões vazios, cores e alfinetes, constrói uma trama que dialoga com as camadas que Meyer Filho utilizava para retratar as penas de seus galos, que na minha percepção é a segunda pele do animal, frágil e leve como é a minha arte”, afirma Joelson.

 

O resultado da conversação artística entre Meyer Filho e Joelson Bugila poderá ser conferido no ambiente “Sala dos Licores”, projetada pelos profissionais Carlos Malinski, Cláudio Oliveira e Jeferson Potestino, durante a Mostra Casa Nova, nos meses de setembro e outubro, no Museu da Escola Catarinense da UDESC –MESC.