Um pouquinho de Porta Nuova, o bairro mais moderno de Milão

Uma das coisas que mais amo, e inspira, nos lugares que conheço é quando o antigo se mistura ao contemporâneo. O melhor de Milão foi descobrir, meio à cidade, arranha-céus com design moderno e  arquitetura premiada. Estou falando de Porta Nuova, que inclui os bairros de Garibaldi, Varesine e Isola, totalmente revitalizada e que deu cara nova ao reduto. Vale muito a pena caminhar pela região totalmente revitalizada, ao lado da badalada Corso Como que é conhecida por sua ótima vida noturna, com discotecas, bares e restaurantes, e considerada o centro vital do novo bairro Porta Nuova . Inicialmente,  várias formas de resistência das comunidades locais se opuseram ao projeto  e achavam um modelo de desenvolvimento urbano insustentável. Mas o que eu pude constatar foi a construção de uma série de edifícios eco-sustentáveis ​​(calcula-se uma redução do consumo de energia de 37%), construção de uma praça circular com um diâmetro de 100 metros completamente para pedestres,  espaços públicos, uma piscina, um ginásio e uma área de 500  metros de painéis solares e outras soluções de aquecimento geotérmico, entre muitos outros recursos. 

Vestido Zara, bolsa Chanel e mule Paula Torres para passear na área mais cool de Milão
O antigo com o contemporâneo: arranha-céus moderníssimos recém inaugurados, que combinam em um mesmo espaço apartamentos residenciais, comerciais, lojas, supermercado, vida noturna, arte.

Com assinatura dos arquitetos Stefano Boeri , Gianandrea Barreca e Giovanni La Varra, o Bosco Verticale é um par de torres residenciais no bairro de Porta Nuova, em Milão. Fica entre a Via Gaetano de Castillia e a Via Federico Confalonieri, perto da estação de trem Milano Porta Garibaldi. Os prédios  têm uma altura de 111 metros e 76 metros e mais de 900 árvores em 8.900 metros quadrados de terraços.

Bosco Verticale, prédio residencial com arquitetura premiada e copiada pelo mundo

Começa amanhã: Conferência Iguatemi Talks chega à 2ª edição com grandes nomes da moda

Como um dos grandes apoiadores da moda nacional e internacional, a Iguatemi Empresa de Shopping Centers realiza a segunda edição do Iguatemi Talks. A proposta da plataforma é informar e inspirar o público ao disseminar conteúdos relevantes sobre sustentabilidade, novas tendências, novos comportamentos e também conteúdos inovadores do setor de moda e varejo.

De 23 a 25 de outubro, o Shopping JK Iguatemi, em São Paulo, reúne profissionais por meio de encontros, palestras, bate-papos, workshops e mentorships. A primeira edição, em 2017, contou com uma média de 30 horas de conteúdos e reuniu mais de 7.000 pessoas durante os três dias de evento.

“A moda sempre esteve no centro do nosso negócio, ela é o nosso DNA. Acreditamos que a moda te dá a chance de ser quem você é, e a energia que existe por trás de uma peça reflete a maneira como as pessoas se expressam e enxergam a vida. É este tipo de reflexão que desejamos provocar ao público. A Conferência Iguatemi Talks tem como propósito a troca de experiências e percepções entre os apaixonados por este universo e grandes nomes do Brasil e do mundo sobre as tendências e o futuro da indústria” Carlos Jereissati Filho, Presidente da Iguatemi Empresa de Shopping Centers.

Especialmente para esta segunda edição, estarão reunidos nos três dias: Ermenegildo Zegna, CEO do Ermenegildo Zegna Group, Christian Louboutin, designer da Louboutin, Roland  Herlory, CEO da Vilebrequin, Alexandre Birman, CEO da Arezzo & CO, Cameron Saul, criador da Bottletop Foundation, Jöerg Zuber, Diretor criativo e criador da influenciadora digital NooNoouri., Pedro Bial, jornalista e apresentador da Rede Globo, Costanza Pascolato, empresária e consultora de moda, Maria Prata, jornalista da Globonews, entre outros nomes.

Os ingressos serão comercializados no formato day pass permitindo ao público participar do evento de acordo com a programação do dia e estarão disponíveis, a partir de 20 de agosto, no site www.iguatemitalks.com.br.

Na edição deste ano, o Iguatemi Talks apresenta também o Pitch, projeto lançado em 2017 com o objetivo de captar novas ideias para o negócio do grupo. Nesta nova etapa do programa, o foco será em operações para Mix e Varejo, área responsável pela curadoria de lojas dos empreendimentos. Pensando no alto potencial de novidades no mercado, a companhia deseja expandir o programa para conhecer novas marcas nos segmentos de: vestuário, calçados, acessórios e cosméticos.

Para participar, os interessados devem acessar o site https://www.iguatemipitch.com.br/, selecionar a opção “marca”, concluir a inscrição e aguardar a seleção

Na minha coluna da Revista Versar: A moda retorna à geração “paz e amor”

De hippie e glam rock à discoteca ou boemia, eles perpetuam estilos icônicos que permanecem atuais. Uma das décadas mais revisitadas quando se trata de moda, os anos 1970 estão em evidência na coleção Resort 2019 da Valentino e servem de inspiração para esta coluna. Identificados com a peculiaridade e a liberdade de expressão da geração “Paz e Amor”, os designers e amantes da moda continuam atraídos por tudo que diz respeito a estas referências. De hippie e glam rock à discoteca ou boemia, eles perpetuam estilos icônicos que permanecem atuais. Tudo o que você precisa saber é como repaginar essas tendências e reinventá-las para se encaixarem perfeitamente no seu closet.

Óculos Emílio Pucci para Sá Ótica Atelier, cinto Gucci, lenço Montefina, blusa, jeans e bolsa Carmen Steffens (Fotos: Dari Luz/Divulgação)

 

Conexão com o passado

Lenços, maxióculos, shapes soltos, customização com uma pitada intencional de referência à moda street e toques nítidos dos anos de 1970. A moda está, cada vez mais, trazendo elementos para o presente com o intuito de lançar tendências e fazer conexões com a décadas passadas.

Geração Hippie

Lenço Hermès, óculos Karen Walker para Mint Optica, vestido Ateen para Loja Danna, bolsa Montefina, Anel e pulseira Attualità

O vestido e a bolsa com a vibe hippie foram reinventados para a coluna! Em sintonia com o mood 70’s, o vestido traduz o melhor da época. A bolsa da grife Montefina, com mensagens de paz e amor, foi pintada exclusivamente para o editorial pelo tatuador gaúcho Charles Cenzi. O eterno jeans não poderia ficar de fora com suas pernas flare, ou boca de sino, como era chamada na época.

E as pochetes?

Pochete Antonia Handbags, lenço Montefina, argolas Attualità, vestido Carmen Steffens, óculos Karen Walker para Mint Optica

As fanny packs, ou pochetes, tiveram o seu auge em estilos de nylon de cores vivas nos anos 1980. Antes mesmo de se tornarem populares, Donna Summer provou que elas já eram chiques ao amarrar uma delas em sua cintura durante uma performance. Abominado até recentemente, marcas como Chanel e Gucci tiraram o modelo do banco dos réus e, desde o verão de 2017, o shape foi “exorcizado” e está entre os itens de moda mais admirados do momento.

Garimpo

Meu garimpo foi o lenço Hermès que encontrei num brocante, um brechó itinerante, em Paris. Cada vez mais peças afetivas ou adquiridas em viagens, geralmente compradas em brechós, pequenas lojinhas e que não necessariamente custaram caro, entram como itens importantes numa produção de peso ou como marca registrada forte em um look.

Arte e moda

O muro pintado pelo artista paulista Paulo Govêa, no Centro de Florianópolis, que se inspira nos grafites, cartazes e pichações que remetem aos becos de Tóquio, “casou” com a ideia central de fazer as conexões entre a moda e a arte.

Representatividade

Eduarda Brandão
Eduarda Brandão

Pela primeira vez na capa da Versar está a baiana Eduarda Brandão Lisboa Passos, que adotou o nome artístico Eduarda Brandão, 18 anos, e começou como modelo na DN Models de Florianópolis há seis meses. Duda se descobriu transgênero aos 12 anos, lida bem com a descoberta, mas prefere fazer as mudanças gradativamente: “troca de sexo, somente aos 21 anos. Tudo tem seu tempo”, diz a modelo. Eduarda já fez trabalhos locais, como o Trend Talk Iguatemi e a capa da revista Octa Fashion 2018, que circulará em novembro. Duas agências de São Paulo já estão de olho na modelo, que está se organizando para morar na capital paulista em 2019.

Diversidade e propósito

Tenho falado muito sobre as marcas priorizarem uma bandeira, um propósito, para se recolocarem. A grande sacada da vez é posicionar o cliente na linha de frente e no processo de criação do look, seja numa customização ou na elaboração de criações colaborativas.

Dicas de como entrar nesta tendência

Coleção Resort 2019 da Valentino serviu de inspiração (Foto: Vogue/Divulgação)
  • Entre as tendências estão os itens-chave e detalhes pelos quais a década de 1970 é agora conhecida, como tons terrosos, camurça, calças boca-de-sino, franjas e shapes de cintura alta.
  • Bolsas de palha: para passear ao longo da Côte d’Azur, Jane Birkin nunca foi vista sem uma bolsa de palha, pensada como forma de dar glamour, sem esforço, às garotas francesas.
  • Argolas e brincos gigantes: em 1973, Diana Ross sabia que um par de argolas era o único acessório de que ela precisava para dar um aditivo extra ao look.
  • E os cabelos: enquanto algumas meninas preferiam uma aparência natural, as divas de discoteca optavam por cortes desgrenhados. Hippies, por outro lado, frequentemente balançavam uma parte central com ondas fluidas.
  • 70 Celebrity Fashion: Cada década tem suas celebridades e estilos de estrelas. Entre alguns dos nomes mais famosos da década de 1970 estão mulheres como as cantoras Cher, a atriz Farrah Fawcett e Bianca Jagger.

Participaram deste editorial: 
Produção executiva e styling: Lise Crippa
Produção de cena: Larissa Maldaner
Fotos e tratamento de fotos: Dari Luz
Beleza: Larissa Maldaner
Modelo: Eduarda Brandão – DN Models
Locação: Noma Sushi 
Marcas participantes: Attualitá, Antonia Handbags Aldo, Carmen Steffens, Fernè Leather, Gucci, Hermès, Loja Danna, Le Iris, Montefina, Mint Optica, Sá Ótica Atelier

Rafael Chaouiche desfila na Stela Knabben, amanhã (18)

Estilista revelação nacional mostra amanhã (18),  suas novas criações inspiradas em conceito de bem estar, com sedas, linhos e tricôs levinhos nas doces tonalidades de sorbet. Ele tem apenas 25 anos, mas já está na sua quinta coleção e vende em 12 pontos no Brasil, mais um em Miami.

Rafael Chaouiche é apontado como uma das maiores revelações dos últimos anos, com um trabalho autoral delicado, criativo, instigante. Para esta temporada ele conseguiu fazer uma coleção ainda mais surpreendente a partir do louva-a-deus.

Foi buscar a história desse inseto interessante, forte e sensível, que é capaz de atacar um animal carnívoro, mas se entrega como alimento para a fêmea fecundada, evitando que ela deixe seus ovos vulneráveis a predadores. Mas o louva-a-deus, ou grilo verde, também tem fortes simbolismos. Representa a esperança, a boa sorte, os bons fluidos.

E foi com essa dose intensa de informações que Chaouiche criou estampas delicadas, impressas em lenços de seda em tons de sorbet. Na moldura, um colorido contrastante, e nas formas, uma deliciosa brincadeira com sobreposições.

O estilista também trabalhou com o linho, em estruturas confortáveis e detalhes lúdicos. Além dos tricôs levinhos, em peças soltas e outras que mudam de proposta de acordo com as amarrações. Características, aliás, bem típicas dele. Por mais que viaje nas histórias e pesquisas para desenvolver suas novas coleções, deixa bem evidente o seu DNA, em peças que – por si só – têm muita coisa pra contar.

Na minha coluna Revista Versar: As mudanças estão na moda

 

Enquanto alguns designers aproveitam todas as oportunidades para mostrarem suas criações, lançando luz sobre os debates que agarram o mundo, nós pegamos carona para colocar em evidência o mundo da moda na sua forma mais real. Queremos expressar, através de uma miríade de tendências que estão prontas e esperando para serem usadas, que existe sim o caminho para uma moda com propósito e alma. E este é o nosso objetivo para esta coluna e para as próximas. Fotos: Dari Luz

Participaram deste editorial: Produção executiva e styling: Lise Crippa Produção de cena: Larissa Maldaner Fotos e tratamento de fotos: Dari Luz Beleza: Larissa Maldaner Modelo: Mariah Pickler – DN Models Locação: Junkes Garden Center Arranjos florais e chapéu: Juliana Hames Floral designer

Segundo André Carvalhal, ex-gerente de marketing da Farm e atual Diretor Co-Criativo da AHLMA, que iniciou este movimento no qual me inspirei,  as mudanças que vemos hoje na moda vão muito além das roupas. Elas envolvem várias esferas, como a forma com
a qual nos relacionamos, com as escolhas alimentares e de saúde, a música, o meio ambiente e espiritualidade. Tudo que for cultural está conectado à moda e, assim, em processo de mudança também.

Flores da Rodarte
De volta à passarela da Semana de Moda de Nova Iorque, que ocorreu início de setembro na Big Apple, a grife internacional Rodarte mostrou sua nova coleção como num conto de fadas, em meio à estética da moda americana.

A marca apostou nos looks românticos e as irmãs Laura e Kate Mulleavy  apresentaram uma primavera/verão cheia de flores aplicadas em lindos vestidos, inclusive em arranjos na cabeça, acertamos em cheio, hein!

 

 

Fotos: Divulgação Rodarte

Feito a mão

Amo flores, e os arranjos e chapéu foram confeccionados ao vivo, exclusivamente para o  editorial, pela designer floral Juliana Hames que utilizou flores delicadas como rosas inglesas, mini rosas, mini cravos, hortênsias e lisianthus.  A designer manteve características mais românticas e usou também uma espécie de capim do cerrado para a estrutura do chapéu, destaque de capa da Revista.

Feito a mão II

Seguindo a tendência “handmade”, o vestido com estampa exclusiva da Kotzias foi produzido durante o editorial por uma técnica muito conhecida entre estilistas e designers de moda chamada de Moulage. Criada pela francesa Madeleine Vionnet, a
Moulage é uma forma avançada da modelagem. Ao invés da criação plana, a técnica é uma forma tridimensional de criar roupas diretamente na modelo.


 
Sustentável

A estilista catarinense Camila Fraga resolveu alçar novos voos com uma proposta super sustentável e correta, o aluguel de roupas para festas e de noivas. A cliente faz a roupa, usa e deixa no espaço batizado de Closet Camila Fraga, num valor mais acessível. Uma oportunidade para que outras pessoas possam usar aquele look dos sonhos e onde todos saem ganhando.
Em São Paulo descobri a Roupateca no bairro Pinheiros. Eles oferecem assinaturas mensais para clientes que podem alugar roupas de estilistas como Adriana Barra, Cris Barros, Flavia Aranha, Insecta e Gilda Midani, além de bolsas e acessórios. Por R$ 100,
R$ 200 ou R$ 300 por mês, é possível levar 1, 3 ou 6 peças para casa por vez. Amei a ideia!


Lojas e Marcas participantes:
Attualitá , Calcanhar de Aquiles, Carmen Steffens, Closet
Camila Fraga, Fabi Jorge Joias, Kotzias Tecidos, Ruth Grieco
Joias.