Arquivos da categoria: Viagem

Alemagou: um dos melhores points de Mykonos

Gente, voltando às minhas férias europeias, Mykonos foi o ponto alto da viagem. Nossa trip iniciou na Grécia, em Atenas, e depois Mykonos, arquipélogo que faz parte do grupo de ilhas do Mar Egeu, lá foi realmente “matador”! Ficamos apenas uma noite em Atenas e na ilha foram quase dez dias, valeu cada minuto!

Há aproximadamente 12 minutos do nosso hotel, o Belvedere,  está o Alemagou, Beach Club localizado na praia de Ftelia.  Que lugar! Que visual! Que tudo! Um refúgio boho tão autêntico que você  chega a pensar que desembarcou no México ou numa cena de filme, tipo, “Lagoa Azul” (os mais novos não irão  lembrar, claro!).

Tudo tão lindo e tão rústico: as cabanas de palha ou a lojinha de lona onde vendem os acessórios da tradicional  sandálias Elina Linardaki, aquelas dos pompons que foram hit do verão europeu e aterrissaram com suas releituras  no Brasil.  Point pitoresco, onde a abundância de elementos cinzas claro se encontram com a simplicidade e  flertam com o luxo sem frescura e sem amarras.

 

alemagou 5
Apenas uma cabana de palha para ser feliz
alemagou 3
Sandálias Elina Linardaki, aquelas dos pompons que foram hit do verão europeu e aterrissaram com suas releituras no Brasil.
Alemagou
Dispensa legenda

alemagou 4

alemagou 1

Capri e Costa Amalfitana al mare: Gruta Azul e restaurante La Conga Del Sogno

Um dia “al Mare” na Costa Amalfitana foi a oportunidade de  experimentarmos a delícia de um mergulho longe de tudo e de todos. Observamos de perto os diferentes tons da Costa, do verde transparente ao azul índigo do mar profundo, inesquecível!

Paramos em vários locais e o  restaurante do dia foi o Conca del Sogno, uma bela estrutura que se estende ao mar. Um paraíso que não tem como não amar! Neste dia alugamos uma lancha de 38 pés com marinheiro, o concierge do hotel que nos indicou o serviço. A localização do Conga fica entre rochas e muito verde  com uma praia para quem preferir. Além dos frutos do mar, o restô oferece uma grande variedade de massas, diariamente reinventadas com a criatividade do chef.

Meu conselho é pedir sugestão do menu para os proprietários que atendem pessoalmente às mesas. Eles têm uma intuição extraordinária para os gostos de cada cliente. Como já comentei, uma das especialidades são os frutos do mar crus, abertos no momento para serem apreciados e “devorados” como deliciosos aperitivos.

Capri resto 2
La Conga Del Sogno com look da Joyeux

capri resto

capri resto 1

 Antes de almoçarmos, como estávamos de lancha, paramos e pegamos um barquinho menor para entrarmos na Gruta Azul. O ingresso custou 13 euros e se paga em uma bilheteria lá mesmo (9 euros para o serviço de barco e 4 euros como bilhete de entrada), mas atenção: aceitam apenas dinheiro e os barqueiros pedem gorjeta na cara dura! O melhor horário para visitar a Gruta é entre meio dia e 14 h, pois nesse período os reflexos são mais brilhantes. Claro, em dias nublados menos azul e menos luz!

capri 8
Um dia Al Mare
Capri gruta 2
Dentro da Gruta Azul

Capri gruta

Capri gruta 3
Alugamos uma lancha de 38 pés com marinheiro. Bem fácil por aqui e o próprio conciege pode agilizar tudo isso!

Riccio: os dos restaurantes mais recomendados de Capri

 

Com uma atmosfera mediterrânea e decoração com mesas e cadeiras azuis, o il Riccio é um dos restaurantes mais recomendados de Capri. O local possui uma estrela no Guia Michelin 2013, tem uma cozinha aberta e decorada com azulejos majolica de Vietri, tudo muito lindo e harmonioso. Uma sala secreta, que nem é tão secreta assim, pois é o local mais fotografado do endereço, de sobremesas faz qualquer um voltar a ser criança, com doces italianoss celestiais, como Baba, sfogliatelle, ou delizie al limone .

A praia que serve o restaurante está situada nas rochas próximas à magnífica caverna Gruta Azul e é considerado um dos locais mais sofisticados da ilha. O menu é principalmente  de frutos do mar, emparelhado com ingredientes frescos e sazonais , além de uma seleção atraente de carnes, massas e vinhos finos.

riccio 4

riccio 5

riccio

riccio 1

riccio 3

Dica de restô em Capri: da Paolino, onde os limões sicilianos são os protagonistas

O restaurante da Paolino em Capri é tudo o que  o meu paladar, memória olfativa e visual queria conhecer. É um dos redutos mais famosos pelos habituès da ilha e o menu é servido em meio ao perfume dos limões, no mínimo inusitado! Sem dizer que eu amo limões sicilianos e lá eles ficam sob as nossas cabeças em pés enormes e suculentos! Imagens: arquivo pessoal e internet

paulino
Graci, minha prima, e eu nos esbaldamos na típica dieta do local, com muita salada caprese de entrada
Todas as louças têm detalhes de limões e desde a chegada ele foram os protagonistas da noite
Todas as louças têm detalhes de limões e desde a chegada eles foram os protagonistas da noite

paulino 4

Os pratos do restaurante da Paolino são tradiconais da culinária da ilha, uma cozinha que passa de pai para filho e que continua a surpreender os paladares mais exigentes. Adoramos tudo no local e voltaríamos inúmeras vezes.

paulino 2

paulino 5

Desvendando Capri: hotel Quisisana e Valentino Guaravani a poucos metros de nós

 

A ilha de Capri fica no Golfo de Nápoles, no sul da Itália, a poucas milhas do mar de Sorrento e da Costa Amalfitana. Foi o terceiro destino da nossa viagem, que iniciou em Atenas e Mykonos e por último na Costa Amalfitana. Meus posts começarão por Capri, porque Mykonos dará muitos capítulos à parte.

capri 0
Panorâmica da cidade
Feirinha de rua, adoro!
Feirinha de rua, adoro!

O lugar é pequeno e possui apenas 10 quilômetros quadrados divididos em duas cidades: Capri e Anacapri. Ficamos hospedados no tradicional Hotel Quisisana, que tem  mais de 150 anos. Icônico, é um ponto turístico, assim como o Copacabana Palace é para o Rio de Janeiro.

Nós, em frente ao icônico hotel. Neste bar as pessoas passam as tardes olhando quem passa na rua
Paulo, eu Graci e Evandro em frente ao hotel. Neste espaço as pessoas ficam horas e horas olhando quem passa na rua…Tradição

Geralmente, os turistas ficam durante o dia na cidade e até umas 17 h as ruas são cheias. No final da tarde, quando todos os barcos vão embora, é que a gente consegue sentir a verdadeira vibe do local. Dormimos três noites  e vivenciamos todo o charme, o clima das ruas, restaurantes e lojas. À noite o povo,  vestido elegantemente com muito linho, renda e tons claros, passeia para ver e ser visto. E foi num final de tarde que demos, literalmente, de cara, sentado em uma mesa de restaurante,  com Valentino Garavani.

Valentino sentado...Tiramos a foto de longe....Não tivemos coragem de chegar mais perto! Afinal, Valentino é Valentino!!!!
Valentino sentado…Tiramos a foto de longe….Não tivemos coragem de chegar mais perto para abordá-lo! Afinal, Valentino é Valentino!!!!

Como chegamos à Ilha:

O aeroporto de Napoli foi o nosso local de chegada e bastaram trinta minutos, com um transfer que reservamos aqui do Brasil, para irmos aos píers de embarque para Capri, de onde pegamos um barco coletivo, com bilhetes de passagens comprados na hora. Tudo muito tranquilo, até porque setembro não é alta temporada.

 Chegando em Capri, um carrinho do Quisisana levou nossas bagagens e nós subimos de taxi até o hotel. Esta é a melhor maneira de acesso, já que as ruas do centro são destinadas apenas para a circulação de pedestres. Existem poucos estacionamentos, mas os meios de transporte públicos são bem bacanas.

Ainda sobre o Hotel Quisisana:

É o mais glamouroso da ilha, cujo nome quer dizer “aqui se cura”. Mas pode ser chamado apenas de Quisi, como é conhecido pelas habitués. Quando o hotel foi fundado, por um médico escocês em 1845, o objetivo era ser um sanatório, acreditam? Os quartos têm estilo clássico-mediterrâneo e vista para o mar ou para o jardim interno e piscina. Ficamos num quarto térreo, com uma sacadinha charmosa com acesso fácil à piscina.

Boas vindas
Boas vindas do hotel
Boas vindas da agência de turismo que organizou a nossa viagem, a Conceito aqui de Floripa
Boas vindas da agência de turismo que organizou a nossa viagem, a Conceito aqui de Floripa
Café na sacada
Café na sacada
capri 3
Banheiro que segue a linha clássica

Minha opinião sincera sobre o Quisi? Muito estrategicamente bem localizado, chique mas um hotel com faixa etária para pessoas mais velhas, pelo menos foi o que sentimos na nossa estada. Eu adoraria passar meu aniversário de 70 anos lá!! rsrsrsrsrrsr!! Brincadeiras à parte, acho que numa próxima ida a Capri vamos procurar um local menos “boring“, com  música na piscina, um café da manhã que acabe mais tarde e menos clássico.

Biblioteca do Hotel e eu com meu look Iorane azul e branco para combinar
Biblioteca do Hotel e eu com meu look Iorane azul e branco para combinar

Ponto “bem”  negativo:

Ficamos bem desapontados com a política do lugar no check out, quando simplesmente nossas malas foram tiradas do quarto. Chegamos  47 min após o meio dia e tudo que era nosso estava no guarda volumes. Achamos que o concierge tinha que ter nos avisado da política do hotel antes, né? E quanto à retirada das malas, sem nenhum direito de escolha a late check out, achamos péssimo! Outra coisa negativa, e que tem a ver com as malas, é que saimos para almoçar e quando chegamos todos os nossos pertencences, inclusive bolsas com joias, dinheiro, documentos, já tinham sido mandadas para baixo. No mais, foi tudo perfeito e adoramos Capri! Num próximo post darei dicas de restaurantes por lá, aguarde!