Adolescentes buscam, cada vez mais, cirurgias plásticas

Segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), os jovens respondem por 15% das cerca de 800 mil operações estéticas ou reparadoras realizadas anualmente no Brasil (as estéticas tentam harmonizar o “conjunto”; as reparadoras corrigem defeitos congênitos, queimaduras e cicatrizes).

“Os desfiles das semanas de moda, aliados às revistas e catálogos que trazem lindas e perfeitas mulheres, podem causar impacto negativo entre os adolescentes que, diante do espelho, veem seus defeitos evidenciados”, alerta o cirurgião plástico de Florianópolis Paulo Roberto Mendes. Tudo os incomoda: a barriga um pouco saliente, as orelhas em abano e o tamanho dos seios. Diante dessa situação, muitos deles recorrem às cirurgias plásticas para correção das imperfeições.

 

Dr Paulo Roberto Mendes é cirurgião plástico em Florianópolis

Os adolescentes buscam os procedimentos cirúrgicos preferencialmente, no fim da vida colegial (após o ensino médio), tentando adquirir uma imagem diferente para encarar uma nova etapa da vida, dizem os especialistas.

Dados da SBCP mostram que, entre as meninas, as cirurgias mais procuradas são a rinoplastia (correção do nariz ‘batatinha’), a redução de mamas, a lipoaspiração (que é feita em menores apenas quando há indicação médica) e a otoplastia (correção das orelhas de abano). Já os meninos procuram mais a otoplastia, a ginecomastia (redução da mama saliente nos obesos) e a rinoplastia.

Mas não pense que é só decidir repaginar o visual e correr para a sala de cirurgia. Nenhum especialista sério opera meninos e meninas em crise com o espelho, sem levar em consideração uma série de fatores como a idade, as reais necessidades da intervenção e as condições psicológicas e emocionais do paciente.

Os jovens, ou muito jovens, sempre se beneficiam dos procedimentos quando indicados e realizados na faixa etária correta. A operação no nariz deve ser feita a partir dos 16 ou 17 anos, fase em que o crescimento facial terminou. Já a redução ou o aumento das mamas e a lipoaspiração são indicados para quem tem, no mínimo, entre 17 e 18 anos. Fotos: Internet

A única intervenção cirúrgica estética que se pode fazer na infância é a otoplastia. Depois dos sete anos, a orelha não cresce mais. A recuperação ocorre em poucos dias. Após uma semana, pode retornar às aulas.

Os benefícios da plástica em adolescentes são imensos quando a sua necessidade é diagnosticada corretamente – ou seja, quando extirpa um problema que comprometia a vida emocional, social e sentimental do paciente. Ocorre uma elevação impressionante da auto-estima. Muitos jovens chegam a chorar de alegria quando se deparam com o novo visual.

Aos pais temerosos, cabe buscar um profissional de confiança. O medo não deve impedir os adultos de enxergar a necessidade que os jovens têm daquela correção, por conta do trauma que pode surgir no futuro. O melhor caminho é procurar informação e um profissional sério, que traga segurança. Aos apressados, cabe o bom senso. Alguns pais “põem pilha” antes da hora, ou pior, incutem nos filhos desejos que eles não têm. Isso pode levar a uma frustração muito grande, mesmo diante dos melhores resultados, ou expor os filhos a riscos e danos desnecessários.

 

Sobre Lise Crippa

Sou formada em Jornalismo, pós-graduada em Marketing e Moda. Atuo em assessoria de comunicação e jornalismo de Moda. O universo Fashion faz parte da minha vida e do meu trabalho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.